Problemas Posturais

Vejam estas dicas:

Anúncios

Cuidado com as Mochilas escolares!!!

Como é do conhecimento de todos as mochilas escolares podem e trazem vários problemas posturais, por este motivo estamos postando uma série de vídeos sobre o tema:

Apresentando a esgrima*

Esgrima significa “arte de jogar ou lutar com armas brancas”. É uma luta antiga, que ao longo dos tempos experimentou diversas transformações, principalmente com a influência da tecnologia. Existem vestígios de que as lutas com espadas existem desde 1170 a.C. e que desde essa época, na antiga Roma, havia escolas que formavam especialistas para o combate com armas brancas (RIBEIRO & CAMPOS, 2007).

A esgrima se faz presente nos Jogos Olímpicos da Era Moderna desde o seu início, em 1896.

A esgrima foi introduzida no Brasil no período imperial, com a intervenção de D. Pedro II.

Em 1906, foi criado o Curso de Formação em Ginástica e Esgrima, no Batalhão de Caçadores de São Paulo (RIBEIRO & CAMPOS, 2007).

Em 1909, surgiu o curso de esgrima na Escola de Educação Física da Força Pública de São Paulo. Por sua vez, o Exército Brasileiro contratou os serviços de um mestre francês chamado Gauthier, instrutor de esgrima da Escola Joinville le Point, na França, para ministrar esgrima aos militares no Brasil. Atualmente, a Escola de Educação Física do Exército realiza o “Curso de Mestre d’Armas”.

Em busca de maior valorização e reconhecimento da esgrima no país, a Federação Paulista de Esgrima e a Federação Carioca de Esgrima se uniram e criaram a União Brasileira de Esgrima em 1927, que, logo depois, se filiou à Federação Internacional de Esgrima.

Em 1936, pela primeira vez, a esgrima brasileira disputou os Jogos Olímpicos, em Berlim; a partir daí, consolidou-se no Brasil e passou a participar de inúmeros campeonatos internacionais.

Atualmente, a esgrima é realizada em um corredor de aproximadamente 14 m de comprimento por 2 m de largura, e é considerada uma luta altamente sofisticada, uma vez que os praticantes possuem roupas de combate interligadas a um sistema elétrico que indica a pontuação sem a necessidade de contagem feita por árbitros.

A modalidade utiliza três armas distintas:

florete, espada e sabre.

Esgrima - armas

As vestes (roupas) utilizadas na esgrima geralmente são brancas, pois quando não havia a possibilidade de praticar a esgrima com fios elétricos, os esgrimistas tinham que molhar com tinta colorida a ponta de suas espadas para o combate. Atualmente, a Federação Internacional de Esgrima permite o uso de outras cores além da branca, já que a tecnologia fez com que esse detalhe perdesse a importância.

Quando não existiam sensores eletrônicos para marcar os golpes e os pontos, o esgrimista gritava touché! (toquei!) para dizer que tinham acertado o adversário.

A esgrima possui algumas combinações de movimentos devem ser conhecidas para sua apreciação e identificação. São elas:

Movimentos da Esgrima

* (material extraído do caderno de conteúdos da SEE/SP vol.4 – 1º ano ensino Médio- Educação Física).

Voleibol

O voleibol foi criado no ano de 1895 pelo americano William C. Morgan, diretor de educação física da Associação Cristã de Moços (ACM), na cidade de Holyoke, em Massachusets, nos Estados Unidos da América do Norte. O nome original do novo esporte era minonette. Nessa época, o esporte em moda era o basquetebol, que tinha sido instituído apenas há três anos pôr Nasmith e que rapidamente se difundira. Era muito enérgico e cansativo para homens de idade. Pôr sugestão do Pastor Lawrence Rinder, Morgan idealizou um jogo menos fatigante que o basquetebol para os associados mais velhos da ACM e colocou uma rede semelhante à de tênis, a uma altura de 1,83cm, sobre a qual uma câmara de bola de basquetebol era batida surgindo assim o esporte que seria mais tarde denominado voleibol.

A primeira bola usada no voleibol (câmara de bola de basquetebol) era muito pesada, e, pôr este motivo, Morgan solicitou a firma A.G.Stalding & Brothers a fabricação uma bala para o referido esporte. A citada firma, após várias experiências, acabou satisfazendo às exigências feitas pôr Morgan.

No início aquele esporte ficou restrito a cidade de Holpoke e ao ginásio onde Morgan era o diretor. Numa conferência levada a efeito na Universidade de Springfield, entre diretores de educação Física dos Estados Unidos, duas equipes de Holyoke fizeram uma demonstração do esporte há pouco criado. Depois desta demonstração, o voleibol espraiou-se por Springfield e outras cidades de Massachusets e Nova Inglaterra.

Em Springfield, o Dr. A.T.Halsted, depois de observar o novo esporte, sugeriu que o seu nome fosse mudado de minonette para voleibol, tendo em vista que a idéia básica do jogo era jogar a bola de um lado para o outro, por sobre a rede, com as mãos.  

O primeiro artigo sobre o jogo apareceu publicado no número de julho de 1896 do Physical Education. Seu autor, J.Y.Cameron, de Búfalo, Nova Yorque, escreveu: “O voleibol é um novo jogo, exatamente apropriado para o ginásio ou quadra coberta, mais que pode, também, ser praticado ao ar livre. Qualquer número de pessoas pode praticá-lo. O jogo consiste em conservar a bola em movimento sobre uma rede alta, de um lado para o outro, e apresentam, assim, as características dos outros jogos, como o tênis e o handebol”.

A primeira quadra de voleibol tinha as seguintes medidas: comprimento – 15,35m: largura – 7,625 m. A rede tinha a altura de 1,98m. A bola era feita de uma câmara de borracha coberta de couro ou lona de cor clara e tinha por circunferência 67,5 cm e o seu peso era de 255 a 340 g.

O voleibol surgiu na América do Sul, por intermédio do Peru, no ano de 1910, através de uma missão contratada pelo governo peruano, junto aos Estados Unidos, com a finalidade de organizar a instrução primária no país. Os membros desta missão foram os senhores Joseph B. Lochey e José A, Macknight. Trabalharam de comum acordo na modificação dos programas de educação física para crianças, que surgiram nessa época e careciam de jogos. Os jogos ensinados foram o basquetebol, o voleibol e o Handebol, mas não chegaram a ultrapassar as fronteiras do país. Somente em 1912, em Montevidéu, no Uruguai, com a apresentação e o incentivo do voleibol pela ACM, surgiram as primeiras sementes que produziram os frutos desejados.
No Brasil, dizem uns que ele foi praticado, pela primeira vez, em 1915, no Colégio Marista de Pernambuco, e outros que o mesmo foi introduzido por volta de 1916/1917, pela ACM de São Paulo.

A Federação Internacional de Volleyball foi fundada em 20 de abril de 1947, em Paris, França, sendo o primeiro presidente o Sr. Paul Libaud e fundadores os seguintes países: Brasil, Bélgica, Egito, França, Holanda, Hungria, Itália, Polônia, Portugal, Romênia, Tchecoslováquia, Iugoslávia, Estados Unidos e Uruguai.

Em setembro de 1962, no congresso de Sofia, o voleibol foi admitido como esporte Olímpico e a sua primeira disputa por ocasião das Olimpíadas de Tóquio (Japão), em outubro de 1964, com a presença de dez países no setor masculino. O primeiro campeão olímpico de voleibol masculino foi a equipe da Rússia (URSS), vice campeã a Tchecoslováquia, em 3º lugar o Japão. O Brasil ficou em 7º lugar. O feminino contou com seis países, com a seleção do Japão tornando-se campeã, vice Rússia, 3º Polônia. O Brasil não participou desta competição.

O criador do voleibol, William C. Morgan, faleceu em 27 de dezembro de 1942, com 72 anos de idade.

Atualmente, nosso país ocupa posição de destaque nesse esporte como uma das maiores potências tanto do vôlei de quadra como do vôlei de praia (variação do jogo de quadra, em que a equipe é formada por uma dupla).

No masculino, o Brasil iniciou sua trajetória vitoriosa na Liga Mundial em 1993. De 2001 a 2007 disputou todas as finais, sendo vice-campeão em 2002 e 4º colocado em 2008. Em julho de 2009 conquistou mais um título, tornando-se octacampeão da Liga Mundial.

No feminino, os resultados alcançados pelo país também têm sido expressivos: vice-campeão da Copa do Mundo (1995, 2003 e 2007) e campeão olímpico (2008), além de oito títulos do Grand Prix, competição anual criada em 1993.

Destaque internacional

Olá!!!

Este mês apareço em destaque como Dinamizador de Outubro no Programa “Aula Fundação Telefônica (AFT) Educarede em Pró-Menino”. A matéria onde estou destacado no programa iberoamericano  pode ser observada clicando aqui, e também estou no Educarede por ai como “ Um professor Camisa 10”, clique aqui para conferir.

Este resultado é o fruto do trabalho em equipe (Alunos, Professores e Gestão).

DSC00376 100_4279 DSC00166 DSC00151

Ser Professor…

Ser professor é professar a fé e a certeza de que tudo terá valido a pena, se o aluno sentir-se feliz pelo que aprendeu com você e pelo que ele lhe ensinou…
Ser professor é consumir horas e horas pensando em cada detalhe daquela aula que, mesmo ocorrendo todos os dias, a cada dia é única e original…
Ser professor é entrar cansado numa sala de aula e, diante da reação da turma, transformar o cansaço numa aventura maravilhosa de ensinar e aprender…
Ser professor é importar-se com o outro numa dimensão de quem cultiva uma planta muito rara que necessita de atenção, amor e cuidado.
Ser professor é ter a capacidade de “sair de cena, sem sair do espetáculo”.
Ser professor é apontar caminhos, mas deixar que o aluno caminhe com seus próprios pés…

Autor desconhecido